Especialista em restauração predial.

Você sabe o que faz um síndico e por que ele é tão importante?

8 de janeiro de 2019

Todo condomínio precisa de alguém que fique responsável pela gestão desse espaço, observando tanto aspectos financeiros quanto sociais e organizacionais. Mas você sabe exatamente o que faz um síndico e por que ele é tão importante?

Essa é uma dúvida bastante recorrente, já que nem sempre os moradores sabem quais são as atribuições desse profissional, o que ele pode ou não pode fazer e de que maneira deve ser remunerado pelos serviços que presta.

Para explicar como funciona a atuação do síndico, preparamos este artigo e ainda apresentaremos algumas dicas para desempenhar esse papel com sucesso. Continue lendo e saiba mais!

O que é um síndico?

O síndico é a pessoa que representa oficialmente o condomínio. Ele é uma espécie de porta-voz dos moradores e responsável por fazer a administração de espaço. Sua tarefa é defender o patrimônio, interesses e direitos do condomínio e também dos condôminos.

Esse profissional responde legal e criminalmente pelo condomínio, sendo assim, ele pode ser processado em casos judiciais. Por isso, essa é uma grande responsabilidade, mas esse cargo pode ser exercido tanto por um morador quanto por um profissional.

Em ambos os casos, a escolha de quem fará a gestão do espaço é feita por meio de uma assembleia de moradores. Nela fica definido, também, qual será a remuneração do síndico e outros detalhes que sejam pertinentes à atuação desse profissional.

O síndico morador

É mais comum que encontremos o síndico morador, que é alguém que mora ou é proprietária de um imóvel no condomínio. Como ele vive nesse espaço e convive com os moradores, fica mais fácil conhecer os problemas bem como o potencial do espaço para promover mudanças vantajosas e significativas, realizando uma boa gestão.

O síndico profissional

Esse tipo de síndico é um prestador de serviço contratado quando a assembleia decide ser mais conveniente deixar as tarefas de gestão para uma pessoa que não vive no condomínio. O síndico profissional não é um morador e nem proprietário de imóvel no local, mas tem as mesmas atribuições do síndico morador.

Por que o síndico é importante?

Um condomínio tem regras de convivência, um regimento interno, contas a pagar, manutenções a fazer, entre muitos outros aspectos. Por isso, é necessário que uma pessoa fique responsável por cuidar dos deveres e direitos do espaço e dos moradores.

Assim, o que faz um síndico é bem mais do que garantir a boa convivência entre vizinhos e mediar conflitos. Ele precisa gerenciar todo espaço garantindo que esteja sempre bem conservado, organizado e seguro para trazer qualidade de vida aos moradores.

Além disso, o síndico mantém as contas em dia, se responsabiliza por acompanhar o serviço de empresas terceirizadas e funcionários, observa a necessidade de realizar manutenções e melhorias, faz o controle financeiro, garante a saúde social, entre muitas outras funções.

Sem a presença de um síndico, o condomínio viraria uma grande desordem, como uma casa onde ninguém se habilita a fazer a limpeza, pagar as contas, cuidar do jardim e assim por diante. Por isso, esse profissional não pode faltar.

Quais são as atribuições do síndico?

Saber o que faz um síndico é fundamental para, como profissional, desempenhar um bom papel e, como morador, fiscalizar o trabalho da pessoa responsável pela gestão do condomínio.

É válido lembrar que as atribuições do síndico estão previstas no artigo 1348 do Código Civil, Lei 10406/02. De toda forma, podemos apontar algumas das suas principais responsabilidades, conforme você vê a seguir.

Manutenção da ordem e organização

É papel do síndico garantir que as rotinas do condomínio sejam cumpridas de forma satisfatória. Sendo assim, ele fiscaliza e cobra resultado dos funcionários e das empresas prestadoras de serviço, mas também está sempre atento ao comportamento dos moradores.

O intuito é assegurar que o condomínio estará sempre organizado, de modo que seus recursos e atrações estejam à disposição dos moradores. Além disso, cabe a ele fazer cumprir o regimento interno para que a ordem seja mantida nesse espaço, sem nenhuma infração interna.

Convocação de assembleias

A convocação de assembleias também é tarefa do síndico, sendo que ele fica responsável por organizar a ata e fazer o comunicado aos moradores. Tudo aquilo que é debatido durante essa reunião deve ser registrado e cabe ao ocupante do posto enviar uma cópia para todos os presentes.

É válido lembrar que nesses eventos são discutidos assuntos diversos como novos investimentos, melhorias, descumprimentos de regras, mudanças no regimento interno ou apenas para promover a interação dos condôminos com o síndico, para que eles se familiarizem com esse representante.

Gestão orçamentária

Antes de dar início a uma reforma, obra, manutenção ou fazer novos investimentos, melhorias e a contratação de funcionários, é preciso obter orçamentos — e isso também é tarefa do síndico.

Não se trata de encontrar o menor preço, mas sim fazer a comparação entre os serviços para optar por aquele que oferece o melhor custo-benefício. Por meio da gestão orçamentária fica mais fácil obter serviços de qualidade, lembrando que é necessário detalhar orçamento apresentando, inclusive, aspectos técnicos e o retorno do investimento.

Prestação de contas

O síndico faz a gestão orçamentária e financeira do condomínio, por isso, ele precisa apresentar as contas para os condôminos com o intuito de esclarecer as movimentações realizadas ao longo de um período, geralmente dentro de um ano.

Entretanto, a prestação de contas também pode ser solicitada em outros momentos. Além disso, fica a encargo do Síndico divulgar para os moradores as contas do condomínio depois de realizar um novo investimento, por exemplo, ou obter um excelente retorno com algo que foi melhorado.

Gestão de conflitos

As desavenças entre moradores são um problema bastante comum, mas que pode afetar a qualidade de vida no condomínio. Por isso, também é papel do síndico mediar esses conflitos para que eles sejam resolvidos da melhor forma possível, garantindo a saúde social do espaço.

É importante basear-se no regimento interno, direitos e deveres dos condôminos. Dessa forma, nenhuma das partes será privilegiada, assegurando um parecer justo para solucionar os impasses entre as partes.

Como um síndico é remunerado?

Não existe uma legislação que preveja qual deve ser o valor mínimo e o teto de remuneração para um síndico. Isso vale tanto para o morador como o profissional. Além disso, existe uma variação muito grande nesse valor em função do porte do condomínio, principalmente.

No caso do síndico morador, ele pode ser um voluntário ou remunerado de forma direta ou indireta. Na forma direta recebe um salário, na indireta geralmente trata-se de um benefício, como a isenção da taxa de condomínio, sendo que ela pode ser integral ou parcial de acordo com seu valor. Já no caso do síndico profissional, a decisão de pagá-lo é feita em conjunto pelos condôminos. 

Como desempenhar o papel de síndico com sucesso?

Tudo o que um síndico faz é uma grande responsabilidade para a pessoa que aceita o cargo. Pode ser uma tarefa muito difícil, mas traz satisfação ver o condomínio crescendo e oferecendo cada vez mais qualidade de vida para os moradores.

Para conseguir desempenhar o papel com sucesso, veja a seguir algumas dicas:

  • conheça muito bem o condomínio, a legislação, os moradores e o regimento interno;
  • seja sempre realista para não criar falsas expectativas;
  • assuma o papel de administrador e não de policial dentro do condomínio;
  • determine metas para o ano todo e trabalhe para atingi-las;
  • organize as finanças para não deixar expirar prazos;
  • seja simpático e agradável com os moradores para manter um bom relacionamento;
  • identifique as necessidades e problemas do condomínio para saná-los da melhor forma;
  • busque sempre o custo-benefício dos serviços e profissionais;
  • assuma esse cargo consciente das responsabilidades e deveres.

Agora que você já sabe o que faz um síndico, não se esqueça de que é fundamental aceitar esse desafio com o intuito de contribuir positivamente com o condomínio, e não apenas por status. Trata-se de um trabalho como qualquer outro, que exigirá tempo e dedicação, assim, procure dar o seu melhor em prol do bem coletivo.

Gostou desse artigo? Então divida com seus amigos compartilhando essas informações em suas redes sociais!