Especialista em restauração predial.

Entenda de uma vez como fazer a previsão orçamentária do condomínio

4 de janeiro de 2019

Você sabia que a previsão orçamentária é uma medida essencial para a estabilidade financeira do seu condomínio? Anualmente, o síndico deve realizar um levantamento de tudo o que foi gasto com as despesas do empreendimento, podendo prever o montante exigido para o próximo ano.

Nesse caso, as informações devem ser repassadas e aprovadas pela assembleia. Assim, os moradores podem preparar-se financeiramente  considerando a possibilidade do aumento de taxas e contas da habitação para o próximo ano.

Interessou-se? Continue a leitura e entenda como fazer a previsão orçamentária do seu condomínio com mais planejamento!

Qual é a importância da previsão orçamentária?

Antes de tudo, entenda que a previsão orçamentária é a atividade responsável por avaliar todos os custos do condomínio. Ela também prevê as despesas para o próximo ano de serviço de toda a unidade imobiliária.

Cabe ao síndico realizar uma boa previsão, com o objetivo de cumprir com os compromissos legais da gestão, proporcionando, também, maior valorização para o imóvel. É muito importante que seja repassado aos moradores, via assembleia, todas as informações referentes às finanças do empreendimento.

Como realizá-la?

Na hora de realizar a previsão orçamentária, é necessário ter muita atenção com os detalhes. Isso inclui avaliar, na ponta do lápis, todos os gastos mensais que o condomínio teve ao longo do ano.

A seguir, entenda os principais pontos que devem ser analisados pela gestão do imóvel.

Folha de pagamentos

É preciso levar em conta todos os pagamentos realizados para funcionários e prestadoras de serviços. Além disso, averigue quanto foi gasto com salários, férias, décimo terceiro, contratos, entre outros encargos. Lembre-se de que essas despesas representam a maior parte do investimento mensal de um condomínio.

Custos fixos

Aqui podemos incluir as contas de água, energia elétrica, gás e demais impostos. Faça um levantamento do total despendido para esses recursos e comunique os condôminos da importância de poupar o consumo. Com isso, a gestão conscientiza os moradores de possíveis aumentos que podem ser aplicados no valor das tarifas.

Itens de segurança

Analise se o empreendimento tem todos os itens de segurança exigidos e se funcionam corretamente. Alguns itens, como sensores, iluminação, alarmes, etc., devem passar por manutenções com o passar do tempo. Portanto, verifique junto à gestão se existem melhorias que podem ser feitas para o próximo ano de serviço e calcule cada detalhe.

Manutenção e conservação

Qualquer tipo de alteração estética no condomínio ou pequenas reformas que visem à conservação do imóvel devem ser indicados na previsão orçamentária. Nesse ponto, incluem-se também as despesas com a manutenção de interfones, elevadores, fachadas, jardins, bombas e filtros de água, entre outros.

Inflação e reajustes

Leve em conta o valor da inflação e os reajustes que ocorrem anualmente, e notifique os moradores de possíveis aumentos de alguns serviços. A gestão deve realizar uma análise do valor da taxa condominial e averiguar se será necessário aplicar um aumento para o próximo período de atividade.

Com todas as contas feitas, a administração sindical deve apresentar o planejamento financeiro para que os condôminos manifestem quaisquer sugestões. A partir disso, o controle dos gastos é monitorado e a previsão passa por uma votação, podendo ou não ser aprovada.

Realizar a previsão orçamentária é uma responsabilidade do síndico e do conselho fiscal. A assembleia de moradores, por outro lado, tem o direito e dever de contribuir com todas as decisões que dizem respeito ao bem-estar financeiro do condomínio. Contando com organização e planejamento, certamente a tarefa será muito mais simples!

Gostou do conteúdo? Descubra também 6 passos para fazer uma boa pesquisa de fornecedores no seu condomínio. Até a próxima!