...
Pular para o conteúdo

Repinte

A importância da fachada na valorização do imóvel

    Independente de onde formos –  seja uma loja, empresa ou a casa de um parente – a fachada é o fator que consideramos para registrar nossa primeira impressão. É inconsciente, a estética exprime sensações e diz muito sobre o lugar e personalidade dos donos, além do valor agregado, claro!

    Suponhamos que existam duas casas no mesmo bairro, uma ao lado da outra. Ao verificar o valor, você nota que existe uma diferença exorbitante nos dígitos entre elas. No entanto, não precisa de muito para logo identificar o motivo da desproporção: o valor agregado do imóvel está estampado em sua fachada. 

    A fachada tem um alto poder de valorização, logo, a presença de sujidades, pastilhas descoladas, trincas ou qualquer outra patologia aparente resulta na desvalorização do imóvel. 

    Em um edifício, a situação é a mesma! Cada unidade privada passa a ser valorizada conforme são mantidos os cuidados com sua estética. Mas, a ”capa de um livro” não é o único fator decisivo sobre sua qualidade. É preciso que, além da beleza, a estrutura das edificações seja restaurada conforme exigem as leis governamentais, por questões de segurança.

    Infelizmente, é comum nos depararmos com situações onde pessoas são feridas e até levadas a óbito por edificações que desabam ou soltam pedaços. E o pior, em decorrência da procrastinação e negligência em restaurá-los.

    Há algumas semanas, por exemplo, um prédio de Hortolândia construído há mais de 40 anos foi interditado por apresentar rachaduras em sua estrutura. O mesmo havia passado tempos antes em outro bloco do mesmo condomínio. Além de colocar a vida dos moradores em risco, o descuido fez com que famílias tivessem de buscar outro lugar para se abrigar. Como apoio emergencial, um ginásio foi disponibilizado para ampará-los, caso necessário.

    Para evitar esse tipo de situação, existem regulamentos que exigem o cuidado estético e estrutural das edificações. No município de São Paulo, por exemplo, a Lei 10.518/88 estipula o período de 5 anos para restaurar a pintura e providenciar a limpeza dos prédios. Neste caso, se há identificação da necessidade de reparos e as correções não forem providenciadas em até 15 dias, uma multa deve ser aplicada.

    Para evitar estes e outros problemas a Repinte usa os melhores materiais e conta com uma equipe especialista para atuar em cada uma das restaurações. Não deixe sua família na mão de qualquer um!

    Seraphinite AcceleratorOptimized by Seraphinite Accelerator
    Turns on site high speed to be attractive for people and search engines.