Especialista em restauração predial.

Veja como fazer um planejamento financeiro para condomínios eficiente

24 de junho de 2019

O planejamento financeiro para condomínios é uma tarefa fundamental e tem como objetivo oferecer serviços de qualidade aos moradores. Dessa forma, o síndico deve manter a organização, a fim de que a administração do empreendimento possa realizar uma boa gestão.

Devido ao alto nível de responsabilidade que o trabalho exige, é preciso que tudo seja feito da forma mais transparente e equilibrada possível. Com isso, pode-se optar por automatizar os gastos e investir em alternativas viáveis para manter o orçamento em dia, por exemplo.

No conteúdo a seguir, você vai ver como elaborar um planejamento financeiro para condomínios de maneira eficiente. Continue a leitura e coloque nossas dicas em prática!

Saiba a importância de fazer o planejamento financeiro para condomínios

Para realizar um bom trabalho como síndico, é preciso ter uma série de aptidões administrativas. Entretanto, com a prática e a dedicação, é possível fazer uma boa gestão condominial. Nesse caso, deve-se entender como funciona um planejamento financeiro e de que maneira ele impacta nas atividades do empreendimento.

Ao prever o orçamento e seus custos ao longo do ano, é essencial formular estratégias e métodos que sejam voltados para as necessidades dos condôminos. Isso possibilita uma análise mais profunda da realidade da habitação e serve também para averiguar se os desejos e as expectativas dos moradores podem ser atendidos.

Portanto, é fundamental gerenciar a parte financeira da melhor forma, considerando-se todos os aspectos que dizem respeito ao condomínio. Veja quais ações são recomendadas:

  • investigar como as contas eram geridas na gestão passada;
  • listar todas as obras e manutenções preventivas para os próximos meses;
  • criar um orçamento e um fundo de reserva;
  • controlar as finanças mensalmente, entre outras.

O ideal é distribuir todos os gastos previstos igualmente ao longo dos 12 meses do ano. Por isso, deve-se ter também uma previsão de inadimplentes, com base nos dados históricos, a fim de compor um valor atualizado do imóvel. Assim, o planejamento garantirá que todos os custos sejam devidamente cobertos e pagos, evitando imprevistos e o caixa negativo.

Confira como elaborar um planejamento financeiro eficiente

Agora que você já sabe qual a importância do planejamento financeiro para condomínios, chegou o momento de colocar em prática algumas ideias e investimentos necessários para oferecer conforto e tranquilidade aos moradores. 

Separamos algumas dicas essenciais para realizar um levantamento da situação atual do imóvel e fazer com que você consiga projetar o orçamento ao longo do tempo. Confira a seguir!

Registre as entradas e saídas

O primeiro passo é organizar todas as despesas do condomínio, contando com as entradas e saídas de dinheiro. Os dados devem ser reunidos e detalhados de acordo com os gastos e os recursos disponíveis. Assim, será possível visualizar quais serão os custos para o ano — além dos erros cometidos na gestão anterior.

Se os valores não forem utilizados da forma correta ou, ainda, caso haja falha na prestação de contas, o síndico pode acabar tendo sua credibilidade prejudicada diante dos condôminos. Portanto, a tarefa deve ser realizada com bastante cuidado e atenção, ao passo que o síndico precisa investir em formas mais simplificadas para garantir a segurança das informações.

Defina um orçamento

O orçamento é um dos pontos mais importantes para que você consiga realizar uma boa gestão financeira. Ele ajuda, por exemplo, no controle dos gastos, determinando um limite máximo para os investimentos no imóvel. Dessa forma, todos os valores fixos do empreendimento devem ser considerados, somando-se aos custos que são variáveis.

A taxa condominial também deve ter o planejamento como base, para que as receitas sempre consigam cobrir as despesas. O ideal é que o dinheiro seja suficiente para arcar com todos os gastos e possibilite inclusive a criação de um caixa ou fundo de reserva.

Mantenha um fundo de reserva

Para evitar ter um orçamento sempre no limite, separe uma parte do dinheiro e destine-o ao fundo de reserva do condomínio. Ele pode ser utilizado para investir em algumas áreas comuns e em casos mais emergenciais que venham a gerar custos. 

Contudo, é importante contar com uma dose extra de organização nesse ponto, o que proporcionará uma reserva financeira bem estruturada. Assim, comunique aos moradores sobre a atualização das contas e comece a integrá-los no processo, pois isso ajuda a evitar que ocorra uma série de mal-entendidos.

Controle a inadimplência

O índice de inadimplência pode, muitas vezes, gerar dificuldades para o síndico. Em tempos de crise, é preciso saber como agir com eficiência na cobrança dos débitos, tendo como maior objetivo garantir que o pagamento seja efetuado pelos devedores. Assim, a administração condominial deve tomar algumas medidas para promover uma melhor gestão desse tipo de prejuízo.

Para evitar transtornos, explique na assembleia de moradores o quão importante é manter as contas do imóvel em dia e, também, os benefícios que o controle do orçamento oferece para o andamento dos serviços. Demonstre que alguns investimentos são necessários e, para que ocorram, é preciso receber os valores referentes a cada unidade imobiliária.

Foque na redução de desperdícios

Reduzir os desperdícios é uma ação benéfica para todos os condôminos, uma vez que os valores podem ser revertidos em melhorias que visem à valorização do imóvel. Sem contar que, com a adoção de medidas sustentáveis, é possível contribuir para a economia de recursos naturais e financeiros. A captação de energia solar e a reutilização da água são alguns dos exemplos. 

Portanto, as despesas referentes às contas de água, luz, limpeza e conservação podem ser facilmente reduzidas por meio de campanhas educativas oferecidas aos moradores. Com isso, é possível evitar uma sobrecarga no orçamento, com o objetivo de utilizar os recursos disponíveis da forma mais inteligente.

Agora que você já sabe como fazer um planejamento financeiro para condomínios, certamente será muito mais simples executar a tarefa, não é mesmo? Com isso, o síndico garante a continuidade dos serviços no empreendimento e evita que imprevistos ou prejuízos sobrecarreguem as contas da gestão condominial.

Gostou do artigo? Então, aproveite a visita ao blog e assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos como este em seu e-mail. Até a próxima!