Prédios de SP: Edifício Eiffel

Na Praça da República, um prédio em seu entorno chama a atenção dos pedestres que por ali circulam. Suas linhas diferenciadas dividem as opiniões dos transeuntes, que dizem que sua estrutura se assemelha a um livro aberto ou uma gaivota. 

Esse icônico prédio é o Edifício Eiffel, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer a pedido do Banco Nacional Imobiliário. O esboço teve início em 1952, mas foi entregue apenas em 1956. O edifício possui 23 andares e 54 unidades com áreas de 115 a 240 metros quadrados, com opções de apartamentos duplex e triplex.

O grande diferencial para a época, além dos apartamentos com dois e três andares, o que já era algo inovador, os quartos foram posicionados no andar de baixo, enquanto a entrada, a sala e cozinha ficavam no andar de cima. Isso garante um excelente isolamento acústico para os condôminos, afinal, o andar de cima é a extensão da sua própria casa. 

Seus janelões vindos do chão ao teto trazem imponência, elegância e bastante entrada de luz natural, além de cobogós redondos que faziam parte da identidade da época. Todos os apartamentos foram projetados de forma que pudessem apreciar a vista da Praça da República. 

No andar térreo, seguindo o padrão das construções dos anos 50 e 60, existe um espaço para galeria, lojas e até mesmo um acesso entre as ruas Araújo e Marquês de Itú.

O Edifício Eiffel ganha ainda mais importância ao ter sido o último projeto residencial tocado por Niemeyer, que logo em seguida seguiu sua profissão voltada apenas para a realização de obras públicas.

Os apartamentos espaçosos, com excelente mobilidade urbana em seu entorno e localização privilegiada, no coração de São Paulo, faz com que suas unidades sejam rapidamente vendidas assim que entram no mercado imobiliário. E não é para menos: o prédio é uma verdadeira obra de arte e uma viagem para as décadas de 50 e 60.