Os imponentes gigantes paulistas e a importância do cuidado da restauração

A grande cidade de pedra tem seus tesouros, cuidados e expostos para a apreciação dos amantes de edificações. 

Podemos passar semanas observando os imponentes gigantes que já viraram símbolo da capital sem nunca enjoar. 

No meio dessa imensidão de concreto e andares, você já se perguntou quais deles são os remanescentes? 

Se nao, te apresentamos 3:

1 – Guinle 

Ele é considerado, oficialmente, o primeiro prédio de concreto do Brasil. Inaugurado em 1913, era a maior construção da cidade com 36 metros e 7 andares. Foi construído para comportar os negócios da família Guinle, cariocas que expandiram seus investimentos para São Paulo. 

2 – Edifício Sampaio Moreira 

O Sampaio Moreira foi o responsável por tirar a coroa do Guinle, em 1924. Com seus 12 andares e 50 metros abalou a capital paulista por seu tamanho. 

A quem diz que foi ele quem deu a ousadia necessária para a construção de prédios cada vez mais altos. Será?

3 – Banco de São Paulo 

Essa obra imponente foi erguida em 1938 para comportar o primeiro banco da capital. Atualmente, ele abriga a sede da Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo do Estado. 

Esses três gigantes marcos têm algo em comum: o cuidado e a ação periódica da restauração. Um imovel, pequeno, médio ou grande precisa de cuidados especiais para permanecer bonito e seguro por anos. 

O seu prédio não precisa ser um monumento histórico para passar por avaliações periódicas e reparos. O processo de cuidado vai muito além da estética, ele é, também, um ato de amor e cuidado com quem reside nele.

Não importa o tamanho ou a altura, conte com a Repinte!