Especialista em restauração predial.

Individualização de água em condomínios: vale a pena fazer a separação?

23 de novembro de 2018

A partir de 2021 é obrigatória a medição individualizada do consumo de água nos novos condomínios. A lei federal foi sancionada em junho de 2016, mas você sabe o que acontece com os prédios antigos que não possuem essa divisão?

Estes podem optar ou não pela separação, o que vale é ponderar se a individualização de água em condomínios é benéfica. Confira neste artigo as vantagens dessa iniciativa e o que fazer para essa mudança ser aprovada no seu condomínio.

O que diz a Lei Federal?

A sanção da Lei 13.312 foi publicada pelo Diário Oficial da União (DOU) em 12 de junho de 2016 e entra em vigor cinco anos após sua publicação oficial, não incluindo condomínios construídos antes dela.

O texto incentiva a economia no consumo e a práticas de preservação ambiental: “As novas edificações condominiais adotarão padrões de sustentabilidade ambiental que incluam, entre outros procedimentos, a medição individualizada do consumo hídrico por unidade imobiliária”.

Quais as vantagens da individualização de água em condomínios?

Mesmo que a lei não obrigue os prédios antigos a realizarem as alterações, muitos moradores têm se articulado para propor a mudança, considerando os benefícios da separação. Vejamos algumas das vantagens.

Valor mais justo nas cobranças

Em prédios com a cobrança unificada, cada morador não paga pelo seu próprio consumo, mas pelo rateio do valor total, o que nem sempre é justo. Não há como medir quem gastou mais ou menos e fazer a divisão proporcional. Assim, a individualização torna a cobrança mais justa.

Detecção de vazamentos

Com a cobrança unificada não há como medir o consumo exacerbado de algum apartamento, assim, é mais difícil identificar se existe um vazamento. Com as cobranças individualizadas, caso alguma unidade apresente problemas, a identificação é mais rápida e sem conflitos.

Reduz o risco de multa e juros por inadimplentes

Além de pagar pelo consumo alheio, em muitos casos, os moradores têm problemas com inadimplência e atraso nos pagamentos, que podem gerar multas e juros. Com a individualização os conflitos por inadimplência serão resolvidos.

Redução do consumo

A escassez de água em algumas regiões do país promoveu a mudança na consciência sobre o consumo exagerado. Com a individualização da água em condomínios há uma redução média de 30% no consumo, promovendo a contenção dos gastos e o consumo sustentável.

Como promover a mudança?

Para que a alteração seja aprovada é preciso seguir alguns passos simples. O síndico deve aprovar e formalizar o interesse de todos os condôminos em uma assembleia geral e registrar na ata de reunião do prédio. Depois, o documento deve ser registrado em um cartório de títulos e documentos.

É aconselhável contratar um engenheiro responsável para cuidar da individualização de água em condomínios, já que ela deve cumprir algumas normas técnicas. É importante ressaltar que o prédio deve estar com todas as contas devidamente pagas e sem atrasos com a companhia fornecedora.

Então, o que você achou dessas mudanças? Compartilhe esse texto nas suas redes sociais e ajude mais amigos a ficarem em dia com esse assunto.