Como e quem pode ser síndico?

Para manter a organização de um edifício, organizar despesas, trazer equilíbrio para o fluxo de caixa do prédio e ainda conciliar possíveis conflitos dos condôminos, a presença de um síndico é essencial. Sendo um morador ou um síndico profissional, administrar um edifício de forma satisfatória está longe de ser uma tarefa simples. É preciso muita garra e disciplina. Mas, também está longe de ser um bicho de sete cabeças. Confira a seguir mais informações sobre esse cargo e alguns detalhes que mostram o que é preciso para se tornar um síndico.

Como é feita a eleição para o cargo de síndico?

De acordo com o Artigo 1.347 do Código Civil, a eleição de síndico deve ser realizada por meio de uma assembleia, onde ao ser eleito poderá administrar pelo período de dois anos, com a possibilidade de reeleição. É permitido que o candidato em questão seja ou não um condômino, porém, no caso de pessoa jurídica, é necessário comprovar que realmente exerce a profissão de síndico.

Quais áreas de interesse são necessárias?

Por se tratar de uma função administrativa, é desejável que o candidato em questão tenha afinidade com áreas como administração, recursos humanos, finanças, contabilidade e direito.

O que o síndico precisa saber para exercer com maestria o seu cargo?

Todo condomínio possui o seu Regimento Interno, respaldados pelo Código Civil, para que sigam as leis durante o período da administração do edifício. É imprescindível que o síndico estude ao máximo esse Regimento Interno, já que nele estão incluídas diversas questões que podem auxiliá-lo nas mais diversas situações que podem ocorrer ao longo do seu mandato.

Existe mais Leis que devem ser estudadas?

Sim. Levando em conta que existem contratações de funcionários para o condomínio, é importante ter conhecimento das Legislações Trabalhistas e CLT, para que todo o processo de contratação e permanência aconteçam da forma mais tranquila possível para ambas as partes.

O síndico deve estabelecer as mesmas regras tanto para proprietários, como para inquilinos?

Sim, afinal, todo condomínio possui entre seus moradores proprietários e inquilinos. Para isso, é interessante que o síndico também estude a Lei do Inquilinato para compreender mais sobre direitos e deveres de inquilinos dos apartamentos, qual a melhor forma de agir conforme as regras estabelecidas pelas Leis do Código Civil.